Pico do Lopo: perto das nuvens

 

Mochila pronta, equipamentos a postos, é hora de seguir rumo a um dos lugares mais lindos do Brasil.  Com aquela ansiedade gostosa logo pela manhã, partimos para Extrema – MG, a apenas 1:20hs de São Paulo, com a missão de vencer os 1780m de altura do nível do mar, onde está o cume do Pico do Lopo, passando por uma trilha onde descortinam mirantes a cada curva, formando um cenário impressionante. Sabe aquela sensação em que você tira fotos atrás de fotos tentando uma verossimilhança com o que os olhos veem, mas é em vão? O presente da natureza diante de você não se compara às fotos por sua grandeza e beleza.

13723963_10201865070065491_7901285296206504611_o

Foto: Represa de Joanópolis da Pedra do Guarauíva

Chegando em Extrema pela Fernão Dias saindo de São Paulo, as placas indicam o caminho para  chegar na Serra do Lopo, afinal é um dos principais atrativos da cidade, que além da belíssima Serra que faz parte do complexo da Mantiqueira, conta com um circuito de rafting no Parque Municipal do Rio Jaguari, com as belas cachoeiras do Parque Municipal da Cachoeira do Salto,  que possui estrutura para o visitante com restaurante e uma prainha de rio com areia branca, com os passeios de 4X4 que podem ser  feitos através do Pico do Lobo Guará, bem como saltos de paraquedas e asa delta, que  também podem ser realizados na Serra do Lopo mediante agendamento com as operadoras de turismo locais.

1444175066

Foto: Portal de Extrema -MG

O nome Lopo veio do latim Lupus que significa lobo, devido à grande incidência do animal antigamente nessa região, que também deu origem ao nome de um bairro nas proximidades, chamado  Guarauíva (guará – uiva), hoje em dia o encontro com lobos na serra é raríssimo. Entrando na estrada que leva à trilha, percorremos em torno de 7km em terreno asfaltado com trechos de terra, descemos no caminho já bem próximo da trilha para admirar a imensidão da vista em cima das pistas de asa delta, uma em cada lado da montanha, mais uns 5mins de carro e chegamos em um ponto onde fica o recuo para manobra e para estacionar o carro. Começando a caminhada ainda na estrada, é aqui que fazemos aquele aquecimento para despertar para um novo mundo, vamos começar a sentir os cheiros da mata, o vento da serra, o terreno irregular sob nossos pés e deixar para trás a cidade.  O olhar se adapta, os ouvidos amortecem com silêncio.

DSCN3676

Foto: Pista Asa Delta

O primeiro percurso da caminhada que dura em média 1:30hs passa pelos mirantes da Pedra da Guarauíva, Pedra dos Cinco Dedos, Pedra das Cabras até chegar  na Pedra das Flores, a melhor vista do pico, rodeado por bromélias e outras flores e vegetações típicas de altitude. Ali fica o famoso sofá, que apelidamos há um tempo e virou atração, uma formação rochosa, esculpida pela água da chuva, que está bem de frente para a bela vista da represa de Joanópolis, formada pelo rio Jaguari, e essa paisagem nos convida a relaxar depois de algumas subidas e descidas da trilha. O último trecho que dura em média 40mins a 1h tem muita mata fechada e leva até as reentrâncias do Pico, onde fazemos uma escalaminhada para chegar ao topo, vencendo desníveis e se apoiando com as mãos, vamos aos poucos chegando ao ponto mais interessante da viagem. Essa paisagem nos inspira a fazer um super rapel de 60m de altura em meio a vista incrível ou chegar até o cume real do Pico, que fica a alguns metros a mais de altura, esse percurso pode ser realizado somente por profissionais qualificados e com equipamentos novos e de confiança, não tente chegar no cume sem cordas porque para descer  sem equipamento é bem difícil. Já com equipamentos, a subida é feita por uma escalada de nível iniciante, e depois de assinar o livro é só descer com um pequeno rapel.

DSCN2083

Foto: Pedra das Flores

Para conhecer essa maravilha que está bem perto de São Paulo, não deixe de ir com guias especializados, pois para se perder nesse tipo de trilha da mata atlântica mais densa é muito fácil, a trilha possui bifurcações apesar de ser bem demarcada. Há sempre a incidência de animais silvestres como cobras, aranhas e outros animais, apesar de ser raro o encontro com visitantes, pois esses animais ficam longe das trilhas e dos sons que fazemos ao caminhar, mas de qualquer forma, é sempre bom estar atento.

Tempo de trilha: 2:30hs ida + 2:30 volta até a Pedra do Cume

Não deixe de levar:

-lanche de trilha como sanduíche, frutas, barra de cereal, castanhas, isotônico, 1,5l a 2l d’água;

– protetor solar e repelente;

Não deixe de vestir:

– Roupas leves para caminhada;

Evitar bermudas e calça jeans ou que não permitam mobilidade;

-Agasalho ou corta vento dependendo do clima;

– Bota ou tênis para caminhada;

– Óculos de sol e chapéu ou viseira;

– Mochila leve.

Conveniência: Sem estrutura turística durante todo o percurso, é uma reserva ambiental, o sinal de celular é fraco ou inexistente em alguns pontos.

 

2 comentários em “Pico do Lopo: perto das nuvens

  1. Bom Dia, Gabriel
    Este tour foi maravilhoso, superamos todas as dificuldades.
    Os participantes foram todos na mesma sintonia.
    Parabéns para todos nós!
    Que possamos sempre acreditar em nós mesmos,
    Que todos abram-se para vida! deixem sua luz brilhar
    e vençam qualquer tipo de obstáculo e superem todas as
    fragilidades.
    Que venham novos desafios e conquistas!
    Beijos
    Ivaldira Bezerra de Lima

    Curtir

    • Olá Ivaldira, foi lindo ver a superação de todos e a sua principalmente. Todos sabemos que raramente tem dificuldades em trilhas e nessa não foi diferente. parabéns pela primeira escalada!!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: